Tudo Sobre Massagem

Tantra no oriente – origens e hoje

Eu me deparei com uma página na internet chamada “Tantra na Índia”. Ela tem mais a ver com os caminhos tântricos espirituais tibetanos e hindus para a iluminação, mas ela é excelente para dar aos interessados uma visão mais profunda.

Eu vejo Tantra como uma conexão feliz comigo mesmo com o universo e o mundo ao meu redor.

É uma oportunidade de tirar um tempo para relaxar das tensões modernas da vida diária e estar em paz comigo mesmo e com o mundo.

Achei um pouco do texto divertido, pois alegam um caminho tântrico ser melhor que outro… Talvez um sinal de egoísmo humano que não tem lugar no Tantra.

Esta página é aqui como um ponto de partida para uma jornada no Tantra que tem muito mais a oferecer do que sexo e ejaculação feminina e orgasmos múltiplos masculinos.

Para muitos de nós no Ocidente, este é um ótimo ponto de partida. Por milhares de anos, o Oriente foi muito mais avançado!

O tantra, ou mais propriamente tantrika, é uma tradição espiritual diversa e rica do subcontinente indiano. Embora nos últimos anos, no mundo ocidental, tenha se associado quase exclusivamente ao sexo, na realidade esse é um aspecto do que é um modo de vida. Na própria Índia, o tantra está agora, quase sempre, associado a feitiços e ações negras.

Nenhuma dessas visões está correta, e cada uma delas subestimar a natureza abrangente das diferentes tradições.

Além disso, permanece um oceano de literatura tântrica e agâmica ainda a ser descoberta e traduzida, abrangendo um período de tempo que, pelo menos, remonta ao século X da era comum.

A tradição, ou talvez melhor, as tradições, passaram por muitas fases e escolas ao longo deste período de tempo, variando de um ponto de vista extremamente heterodoxo para, em alguns casos, um ponto de vista muito ortodoxo.

www.shivashakti.com é um excelente site de referência para quem procura o verdadeiro Tantra.

O que é Tantra?

por OSHO

O tantra é a rendição total, ou o abandono de todo o condicionamento mental, emocional e cultural, de modo que a energia vital universal possa fluir através de você como um rio sem qualquer esforço. É um deixar ir para uma unidade universal… Para amar.

Quando o medo é removido, o Tantra permanece.

A palavra “Tantra” tem muitas definições, e talvez seu significado real tenha sido perdido para a antiguidade.

Alguns dizem que vem da palavra em sânscrito ou hindu para tecido ou tapeçaria, o que significa que é tecido na vida de alguém.

Outros dizem que vem de duas palavras em sânscrito, Tanoti e Trayati – Tanoti significa expandir a consciência, e Trayati significa liberar a consciência. Pode-se então dizer que o Tantra se expande e libera a consciência.

A mais alta síntese possível entre amor e meditação, o Tantra é também a conexão entre a terceira dimensão e outros planos de existência além da mera materialidade.

Embora não seja uma filosofia religiosa, o tantra abraça uma profunda compreensão espiritual da vida e uma antiga arte de viver em harmonia com a existência.

É tratar a energia sexual como uma amiga, em vez de algo a ser suprimido ou falado em voz baixa.

Não nega o sexo, nem considera o sexo um obstáculo à iluminação ou à Graça celestial. Ao contrário, o Tantra é o único caminho espiritual que diz que o sexo é sagrado e não um pecado.

Os tântricos são mais amantes de Deus do que tementes a Deus.

Há uma palavra mais bonita para o sexo na língua sânscrita, e isso é Kama, que significa sexo/amor juntos, indivisível e inseparável.

A maioria das pessoas está familiarizada com o clássico Kama Sutra, a escritura tântrica do século VII.

Kama é também o nome da Deusa Hindu do amor. E amor é o que o Tantra encoraja! Amor total, incluindo a mente, o espírito e o corpo. Deixa tudo isso fluir!

Meditação

O pensamento consciente, pelo menos do jeito que normalmente fazemos, é a manifestação do ego, o que você geralmente pensa que é.

O pensamento consciente está intimamente ligado ao autoconceito. O autoconceito ou ego nada mais é do que um conjunto de reações e imagens mentais que são artificialmente coladas ao processo de pura consciência.

O tantra procura obter consciência pura destruindo a imagem do ego. Isso é realizado por um processo de visualização.

Ao estudante é dada uma imagem religiosa particular para meditar, por exemplo, uma das divindades do panteão tântrico.

Ele faz isso de maneira tão completa que ele se torna essa entidade. Ele tira sua própria identidade e coloca em outro.

Isso leva um tempo, como você pode imaginar, mas funciona.

Durante o processo, ele é capaz de observar o modo como o ego é construído e posto em prática.

Ele vem a reconhecer a natureza arbitrária de todos os egos, incluindo o seu próprio, e ele escapa da escravidão ao ego.

Ele é deixado em um estado onde ele pode ter um ego, se assim o desejar, seja o seu próprio ou qualquer outro que ele deseje, ou ele pode fazer sem um.

Resultado: consciência pura.

O Tantra também não é exatamente um jogo de bolo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.